Crescem opções de portabilidade de crédito

Tenho dúvidas do que fazer com meu financiamento imobiliário. É a única dívida que tenho hoje. A taxa de juros anual (efetiva) é de 9,44%. O saldo devedor é de R$ 158 mil, mas as prestações são baixas, de R$ 2 mil mensais. O apartamento está alugado. O que fazer?

Há três caminhos a considerar. O primeiro é quitar o financiamento, o segundo usar da portabilidade da dívida para outro banco e o terceiro é continuar como está atualmente. Quitar dívidas é tecnicamente sempre o indicado porque você deixa de pagar juros pelos recursos tomados emprestados, mas essa decisão deve ser feita à luz de outras considerações. Usar toda a poupança para quitar uma de longo prazo e com taxas de mercado relativamente mais baratas não é uma boa alternativa.

Considere também qual o peso das prestações no seu orçamento, particularmente levando em conta que o imóvel está gerando renda por estar alugado. As estatísticas do Banco Central indicam que, em setembro de 2017, a taxa média de financiamentos imobiliários estava em 8,48% ao ano. A alternativa de usar da portabilidade pode ser interessante e exige um pouco de trabalho, que é o de pesquisar alternativas no mercado. A portabilidade é a transferência da dívida de um banco para outro, caso encontre taxas de juros e condições de pagamento mais vantajosas. O novo financiamento mantém o valor e o prazo do contrato original, mas é isento de IOF na transferência.

Caso queira manter o financiamento e não consiga melhores condições em outras instituições, a solução está dada. De qualquer forma há bancos que estão atuando de maneira agressiva no crédito imobiliário e vale a pena buscar alternativas.

fonte:http://economia.estadao.com.br/noticias/suas-contas,crescem-opcoes-de-portabilidade-de-credito,70002073161

Comentários