Regularização de Documentos

Nos últimos anos, o valor dos imóveis aumentou, gerando a readequação do cálculo do IPTU e o consequente valor maior a pagar para as Prefeituras.

Dentre os fatores que levaram à subida do preço dos imóveis estão o aumento do volume de negociações de imóveis (compra e venda) e, antes da crise financeira que passa o Brasil, devido ao aumento da oferta de financiamento.

Para receber o que vale pelos imóveis é importante manter a documentação em ordem e atualizada, para que possa receber o melhor valor do imóvel, em caso de venda. Um imóvel com a documentação irregular só é comprado por um valor muito mais baixo do que realmente vale, como forma de compensar o comprador pelas despesas que terá no futuro para receber o registro em seu nome.

Em muitos casos, o imóvel está em nome de um avô ou até bisavô, sendo o imóvel passado de geração em geração sem ter sido colocado à venda e realizada as transferências aos herdeiros, a cada falecimento.

Uma das formas de regularização dos imóveis familiares é através de um processo judicial de Usucapião, que trará o registro do terreno e da casa em que já se ocupa. Comprovado o uso do imóvel (inclusive para moradia própria e da família), por períodos que chegam até 15 anos, é possível pedir o Usucapião ao Juiz, através de um Advogado.

Recentemente, foi aprovada a possibilidade de ser fazer o pedido de Usucapião diretamente a um Cartório de Imóveis, com procedimento mais simplificado, mediante o auxílio de um advogado.

Uma boa notícia para agilizar o procedimento do usucapião, já que o procedimento no cartório é mais rápido que na Justiça.

Comentários